Usuários querem audiência pública sobre mudanças nas linhas de ônibus de Alvorada

Descontentes com as mudanças das linhas e rotas do transporte público coletivo em Alvorada, usuários querem a realização de uma audiência pública. A intenção é que novas alterações sejam feitas mediante a exposição das reais demandas e anseios dos usuários. Passageiros também reivindicam o retorno da antiga tabela. “Não fomos questionados nem consultados. A maioria dos usuários do transporte público são trabalhadores e não têm opção além de pegar ônibus”, disse a operadora de caixa Daiane da Costa Siqueira Vargas, de 28 anos. A balconista Vanessa da Penha Peixoto, 36, também se diz insatisfeita com as mudanças. “Os ajustes devem ser feitos em conjunto com a comunidade. É por isso que queremos a audiência.”

A assessoria da Câmara de Vereadores confirma que houve solicitação de audiência pela comunidade, mas diz que ainda não há data prevista. O assessor administrativo da Viação Alvoradense, Ronaldo Antunes, informa que não existe a possibilidade de a empresa adotar a antiga tabela, mas esclarece que outras alterações estão previstas, especialmente ajustes de horários, conforme solicitações dos usuários. Ele esclarece que foram realizadas audiências antes das mudanças e informou que a empresa disponibiliza atendimento por telefones, site ou na Secretaria dos Transportes. “Estamos sempre acompanhando as demandas dos usuários e, caso seja necessário, ajustes podem ocorrer e estão ocorrendo”, disse.

O secretário de Segurança e Mobilidade Urbana, Sérgio Coutinho, informa que a prefeitura e a empresa desde 2017 realizam estudos de alteração nas linhas para torná-las mais rápidas e eficientes e que houve audiência pública na Câmara e reuniões nas associações de bairros. Segundo ele, pesquisa realizada pelo governo anterior identificou certa ineficiência do sistema de transporte que estava vigente em razão, também, da expansão habitacional com loteamentos e conjuntos habitacionais, havendo necessidade de adequações.

“Sabemos que mais de 90% dos usuários se deslocam de seu bairro para o Centro em busca de serviços públicos, rede bancária e comércio. Essas viagens são mais rápidas. Os demais que querem se deslocar a outro bairro devem utilizar o sistema de integração, sem custos a mais.” Ainda conforme o secretário, as mudanças terão ajustes para atender as necessidades dos usuários. “Quanto à frota, está dentro do prazo legal de uso, e a empresa é fiscalizada e notificada quando identificado sinal de má conservação”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *