Trensurb aumenta valor da passagem para R$ 4,20

Novo valor entra em vigor a partir do dia 13 de março

A Trensurb divulgou, nesta quarta-feira, o aumento do valor da passagem unitária para R$ 4,20 a partir do dia 13 de março. Após dez anos sem alterações na tarifa, de 5 de janeiro de 2008 a 2 de fevereiro de 2018, a justificativa, segundo a empresa, é a busca do equilíbrio financeiro.

A Trensurb, no entanto, diz que conta com o apoio do governo federal, por meio do Ministério de Desenvolvimento Regional, e realizará investimentos em melhorias no serviços prestados aos usuários, em especial na modernização da frota original da empresa.

Entre os projetos a serem contemplados também estão a recuperação e melhoria dos sistemas operacionais, como a via permanente, a rede aérea de energia, a sinalização de segurança e o abastecimento de energia elétrica, além da acessibilidade das estações, de modo a incrementar a qualidade dos serviços e a confiabilidade dos sistemas – com uma consequente redução no número de paralisações por motivos técnicos.

Ônibus e lotações

O valor da passagem no transporte público de Porto Alegre também passa por aumentos. Na última semana, o Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu) definiu que o novo preço da passagem de ônibus ficou em R$ 4,70 e, para entrar em vigor, depende ainda da sanção do prefeito Nelson Marchezan Júnior.

No dia de 13 março também entrará em vigor o aumento da tarifa das lotações da Capital. O valor passará dos atuais R$ 6,00 para R$ 6,60.

Previsto em legislação, o aumento será em função da nova tarifa do transporte público, aprovada em R$ 4,70 em reunião da Comtu. De acordo com a legislação, o transporte seletivo precisa ser entre 1,4 e 1,5 vezes o preço do ônibus.

O aumento da tarifa é um receio por parte dos permissionários de lotações em função da possibilidade de esse encarecimento refletir na queda de passageiros. De acordo com o gerente-executivo da Associação dos Transportadores de Passageiros por Lotação de Porto Alegre (ATL), Rogério Lago, a entidade enviou um pedido à prefeitura para que o índice mínimo fosse fixado entre 1,2% e 1,5%, mas ainda não havia obtido nenhum retorno por parte do Executivo.

FONTE CORREIO DO POVO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: