Justiça de MS determina pensão de R$ 636 aos pais de adolescente morto e violentado em lava-jato

O menino teria atualmente 18 anos, sendo que o pagamento mensal será pelos próximos 47 anos. Advogado de defesa comentou que protocolou recurso na Justiça.

A Justiça determinou que os jovens acusados de matar o adolescente Wesner Moreira da Silva, em fevereiro de 2017, em um lava-jato de Campo Grande, paguem indenização aos pais da vítima. Na ocasião, a vítima trabalhava no local foi violentada com uma mangueira de ar. Os acusados respondem ao crime em liberdade.

Conforme movimentação no processo, Willian Larrea e Thiago Giovanni Senna devem pagar, juntos, o valor de 2/3 de salário mínimo, que corresponde a R$ 636 mensais. O valor é estendido até o ano em que ele completaria 25 anos. Após este período, o valor é de 1/3 do salário mínimo, até o momento em que ele completaria 65 anos.

O menino teria atualmente 18 anos, sendo que o pagamento será pelos próximos 47 anos. O advogado de defesa, Francisco Martins Guedes Neto, comentou que protocolou recurso e aguarda posicionamento do Tribunal de Justiça (TJ), que vai decidir o caso.

Entenda o caso

Wesner perdeu parte do intestino ao ser agredido com uma mangueira de ar comprimido pelo ânus. Segundo a polícia, não houve introdução, mas a força do ar devastou os órgãos. Depois de 11 dias internado na Santa Casa de Campo Grande, o adolescente morreu em consequência de uma complicação no esôfago que ocasionou perda de líquido e sangue.

Na época, o dono do lava-jato Thiago Demarco Sena e o funcionário William Henrique Larrea disseram que tudo foi uma “brincadeira” e a polícia entendeu que não houve conotação sexual, por isso o caso foi registrado como lesão corporal. Antes de morrer, Wesner negou que tratou de brincadeira.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: