Bolsonaro diz que atos do MST têm de ser tratados como ‘terrorismo’

Candidato do PSL à Presidência da República deu a declaração a jornalistas na cidade de Esteio (RS). Ele também defendeu ‘retaguarda jurídica’ para quem agir em legítima defesa.

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta quarta-feira (29) que “ações” do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) têm que ser tratados como “terrorismo”.

A declaração foi dada a jornalistas na cidade de Esteio, no Rio Grande do Sul, onde o candidato faz campanha em um evento com ruralistas.

“Nós temos que tipificar suas ações como terrorismo. Invadir propriedade rural ou urbana é inadmissível, e um dos pilares da democracia é a propriedade privada”, declarou Bolsonaro.

O candidado do PSL fez a afirmação ao ser questionado sobre como lidará, se eleito, com o MST no Rio Grande do Sul.

Na mesma entrevista, Jair Bolsonaro defendeu “retaguarda jurídica” para quem agir em legítima defesa.

“Um elemento cometendo um ilícito. Caso ele venha a ser abatido, esse que o abateu não pode ser processado, não pode ir para tribunal de juri. Afinal de contas, nós defendemos a legítima defesa da vida própria e de terceiros. E defendemos a propriedade própria e de terceiros “, disse.

Ele disse também que a posse de arma é um direito da população decidido em referendo, mas que isso não tem sido respeitado pelos governantes.

Bolsonaro chegou no início da tarde à Expointer, feira de agropecuária realizada em Esteio, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Ele visitou a sede da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), onde se reuniu com diretores da entidade, que apresentaram 10 medidas para o agronegócio.

Depois, caminhou pelos pavilhões da Expointer, acompanhado de militantes e apoiadores.

Agronegócio

O candidato do PSL afirmou ainda que o agronegócio é o setor que “está dando certo”, mas que é preciso agregar valor aos produtos.

“Há um sentimento também que devemos agregar valor ao que eles [os ruralistas] produzem, e não sermos meros exportadores de commodities”, disse.

Bolsonaro defendeu investimentos em outras maneiras de transportar grãos, além do modal rodoviário.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: