Bebê enterrado vivo tem a vida salva por cachorro herói

O surpreendente caso aconteceu na Tailândia; a mãe do recém-nascido, de 15 anos, foi presa.

Um bebê recém-nascido foi salvo por um cachorro após ter sido enterrado vivo pela própria mãe, na manhã da última quarta-feira (15), na Tailândia. O cão chamado Ping Pong foi visto cavando a terra de uma fazenda em Korat, nordeste do país asiático.

Seu dono, Usa Nisaika, de 41 anos, ao se aproximar do seu animal de estimação, se deparou com a perna do bebê saindo da terra. Imediatamente, ele desenterrou a criança e correu ao hospital, onde o bebê segue internado sem ter sofrido ferimentos graves.

O estado de saúde da criança é estável e ela foi considerada saudável. A polícia prendeu a mãe do recém-nascido, de 15 anos, por tentativa de homicídio.

Bebê foi salvo por cachorro após ser enterrado por sua mãe.

Ping Pong foi atropelado quando era mais jovem e, desde então, apenas três de suas pernas funcionam bem. Usa, que adotou o cachorro quando ele nasceu, conta que ele sempre foi muito leal e obediente, e que sua atitude foi heroica.

“Todos na vila estão maravilhados com o que ele fez. Ele é um herói porque ele salvou a vida do bebê”, declara Usa.

Investigação

A polícia iniciou a investigação sobre o caso e entrevistou residentes locais. Nenhum deles tinha o conhecimento de alguma mulher grávida na região, mas uma lojista afirmou ter visto, recentemente, uma adolescente comprando uma quantidade incomum de absorventes.

A jovem foi presa na quinta-feira (16) e admitiu ter dado à luz o recém-nascido. Ela contou à polícia que enterrou o bebê para esconder seu nascimento, porque tinha medo que seus pais ficassem bravos com a chegada da criança. Sua saúde mental também será avaliada, segundo autoridades.

Os policiais estão mantendo o bebê sob supervisão no hospital, mas os pais da adolescente se ofereceram para cuidar do neto. O governador de Nakhon Ratchasima, Wichian Chantharanothai, afirmou, no entanto, que ainda não foi tomada uma decisão sobre o assunto.

“A equipe policial e os assistentes sociais do governo precisam considerar a segurança da criança”, apontou. Wichian ainda acrescentou que “os policiais estão se preparando para processar a mãe, mas ela também é uma criança. (…) É importante que ela seja nutrida e tratada de maneira justa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *